31 julho 2009

Inteligência pouca é bobagem

Recentemente tive a infelicidade de ler algo que não acreditei ser possível alguém escrever. Um currículo... sim, um simples currículo de um candidato a uma vaga de estagiário em programação. O que tem de tão absurdo nisso? a quantidade de informação inútil tratando-se de uma vaga para programador, mesmo sendo um estagiário, o que exige do candidato o mínimo de inteligência e uma boa percepção do que acontece a sua volta. O que eu não entendo é como uma pessoa tem a capacidade de escrever um currículo com nível tão baixo apesar de incontáveis sites com modelos e dicas de como escrever um currículo e como NÃO escrever um currículo, mas eu acho que esse cara quis contrariar os autores de todas as dicas que ele leu, ou melhor, ele quis fazer mais que um currículo e quase transforou em um perfil de comunidade online. Uma coisa eu admito, o garoto tem bom coração, mas se ele não se cuidar vai ser difícil conseguir uma boa vaga de programador. Meu objetivo não é denegrir a imagem de ninguém, o que eu quero é alertar a juventude atual a prestarem mais atenção nas coisas que escrevem e como escrevem, pois já vi muitas pessoas serem facilmente influenciadas pela "liguagem de internet" e a aplicarem em situações mais formais - o que é inaceitável.
As informações que possam identificar o autor desse currículo foram removidas por razões óbvias, mas isso não oculta o quão clara é a falta de capacidade do ser em questão. Acham que é exagero meu? Então olhem e chorem... de rir.

Clique na imagem para vê-la ampliada

30 julho 2009

Fly Guy

Essa é uma, de uma série de animações, que está fazendo muito sucesso na internet. O autor das animações é um inglês chamado Simon Tofield. Graficamente a animação é simples, mas o enredo é muito bom. Dá-se ótimas risadas com ele. E falando especificamente do episódio abaixo, eu mataria esse gato.



Outras animações dessa série podem ser encontradas no YouTube.

29 julho 2009

Pai, qual é o feminino de sexo?

Iniciando o Canto das estrumelas, vai aí um papo de pai e filho...


Filho: Pai…
Pai: Humm?
Filho: Qual é o feminino de sexo?
Pai: Quê?
Filho: O feminino de sexo.
Pai: Não tem.
Filho: Sexo não tem feminino?
Pai: Não.
Filho: Só há sexo masculino?
Pai: Sim. Quer dizer, não. Existem dois sexos. Masculino e feminino.
Filho: E qual é o feminino de sexo?
Pai: Não tem feminino. Sexo é sempre masculino.
Filho: Mas você acabou de dizer que tem sexo masculino e feminino.
Pai: O sexo pode ser masculino ou feminino. A palavra Sexo é masculina. O sexo masculino, O sexo feminino.
Filho: Não deveria ser “A sexa”?
Pai: Não.
Filho: Mas porque não?
Pai: PORQUE NÃO! …Desculpa, porque não. “Sexo” é sempre masculino.
Filho: O sexo da mulher é masculino?
Pai: Sim... Não! O sexo da mulher é feminino.
Filho: E como é o feminino?
Pai: Sexo também. Igual ao do homem.
Filho: O sexo da mulher é igual ao do homem?
Pai: Sim. Quer dizer… Olha, há sexo masculino e feminino, certo?
Filho: Sim.
Pai: São duas coisas diferentes.
Filho: Então, como é o feminino de sexo?
Pai: É igual ao masculino.
Filho: Mas não são diferentes?
Pai: Não. Ou melhor, sim! A palavra é a mesma. Muda o sexo, mas não muda a palavra.
Filho: Então não muda o sexo. É sempre masculino.
Pai: A palavra é masculina.
Filho: Não. “A palavra” é feminino. Se fosse masculino seria “O palavra.”
Pai: CHEGA! Vai brincar.

O filho sai e entra a mãe:

Pai: Temos que vigiar esse menino…
Mãe: Porquê?
Pai: Só pensa em gramática!

28 julho 2009

Música não é para oportunistas incompetentes

Esse é um artigo publicado por Regis Tadeu, colunista do Yahoo! Música sobre as atrocidades musicais às quais são submetidos os nossos ouvidos. Quero adiantar que concordo com o autor em gênero, número e grau.

"Semana passada, tive a oportunidade de tomar contato com duas coisas absolutamente antagônicas em termos de qualidade, que me fizeram parar para pensar. Primeiro, uma brilhante matéria feita aqui pelo pessoal do Yahoo! Brasil mostrou vários exemplos de pessoas que deveriam ficar afastadas do meio musical, já que não têm absolutamente nada a oferecer em termos de qualidade. Muito pelo contrário, usando de um oportunismo que seria engraçado caso não fosse repugnante, gente desprovida de talento musical como Roberto Justus, Dado Dolabella, Ângela Bismarchi (esta desprovida de qualquer outro tipo de talento) e a inacreditável armação batizada como Sexy Dolls se meteram a fazer música como se isso fosse algo absolutamente inconseqüente.

Como que debochassem de nossa indignação, como se tivessem a certeza da impunidade ao cometerem um ato de lesa-inteligência, eles demonstraram apenas uma incompetência exemplar ao apresentarem suas... ahn... "canções", retratos fidedignos de uma total inabilidade musical".

Você pode conferir o artigo na íntegra no site do Yahoo.

Abraços a todos

27 julho 2009

Recursos do Google que facilitam nossa vida

Iniciando a árdua tarefa de buscar conteúdo para esse blog encontrei algo interessante que muita gente usa, mas perde muito tempo por não saber utilizar os recursos disponíveis: o Google. Sim, o famoso site de busca possui alguns recursos simples que facilitam a nossa vida, mas muita gente não conhece. Então, vamos às dicas.

Fazer uma busca no Google é fácil, mas, com algumas dicas, é possível obter resultados mais precisos. Veja, abaixo, uma série de macetes.

Aspas
Para buscar uma frase exata, use aspas. Assim, os resultados terão a expressão que você procura com as palavras na mesma ordem em que você as digitou.Uma pesquisa por "Nossa Senhora Aparecida", entre aspas, retorna resultados mais precisos do que a busca sem esses sinais gráficos.

Exclusão

Use o hífen antes de um termo para excluí-lo dos resultados da pesquisa.

Se você quer encontrar referências a Pelé que não contenham a palavra Santos, por exemplo, basta procurar por Pelé -Santos.

Asterisco

Um asterisco indica a falta de uma expressão. Suponha que você tenha esquecido uma das palavras que compõem um ditado popular.

Busque, entre aspas, "em casa de * o espeto é de pau". Nos resultados, você encontrará referências à frase com o termo ausente (ferreiro).

Tipo de arquivo

O Google é capaz de encontrar conteúdo dentro de documentos hospedados na rede em formatos como Word (DOC) e Excel (XLS). Basta usar o operador filetype, seguido de dois pontos e da extensão do arquivo, sem espaços.

Para encontrar, em PDF, o texto de "Dom Casmurro", de Machado de Assis, faça uma busca por Machado de Assis Dom Casmurro filetype:pdf.


Essas são apenas alguns dos recursos que, apesar de simples, tenho certeza que vai ajudar muita gente. Essas e outras dicas sobre os recursos do Google podem ser encontrados no site da Folha.

Abraço a todos.

26 julho 2009

Apresentações

Olá pessoal, este que vos fala é mais conhecido no meio criminal pela alcunha de Geysler. Criei esse blog sem a menor ideia do que colocar nele, mas provavelmente tratarei de assuntos relacionados a tecnologia, música e algumas bizarrices que fluem através desses bytes que vão e veem dos nossos computadores. Abraços a todos e espero que sobrevivam a esse blog.