03 junho 2010

São Paulo Ska Jazz – Virada Cultural Paulista

Pela primeira vez esse ano cá estou em mais um post, agora para falar sobre uma banda que eu tive o enorme prazer de conhecer na Virada Cultural Paulista em Bauru, o São Paulo Ska Jazz.

Eu nem sabia da existência desse grupo quando vi a programação do evento. No mesmo horário aconteceu o show do Tom Zé, mas preferi arriscar conhecer o São Paulo Ska Jazz, “se tem Jazz no nome deve ser bom”, pensei.

Liderada pelo baixista Marcelo Calderazzo a banda tem um estilo caracterizado pelo Ska Jazz, um subgênero da terceira onda do ska, com pitadas de frevo, reggae, baião, é uma mistura das boas.

Hora do show, as cortinas do Teatro Municipal de Bauru se abrem e meu olhar corre para a…??? quem adivinha??? a bateria, claro!!! E qual não foi minha surpresa, reconhei o baterista. Ramon Montagner, músico de muito bom gosto e muita habilidade bem ali na minha frente. Sendo eu um estudante desse instrumento, que não dá pra colocar em apartamento, não posso negar que a emoção tomou conta.

O show começou com a música “São Paulo”, uma homenagem a uma das principais cidades desse nosso país, passando por várias outras de autoria do grupo, que fazem parte do primeiro CD, e novos arranjos para outras já conhecidas como “Samba de Uma Nota Só” do nosso glorioso Tom Jobim finalizando com a música “Alta Frequencia”.

Fim de show, “mas já?” pensei com uma certa tristeza, mas não acabou por aí. Eu estava a poucos minutos de conhecer um dos meus grandes ídolos musicais. Fui para o saguão do teatro esperando com ansiedade a chegada dos músicos. Fiquei conversando com um dos organizadores do evento só pra puxar papo, ele estava cuidando dos CDs do São Paulo Ska Jazz que estavam à venda. Logo ele gritou “Ramon, vem aqui!!!”. Então fui apresentado ao grande Ramon Montagner, algo que eu nunca pensei que um dia aconteceria. Para não ser incoveniente conversei pouco com ele, mas foi o suficiente para ganhar o dia. Pedi uma foto com ele, mas não prestei atenção que estava no modo “movie” e cadê a foto? “Ih, estava filmando. Vamos tentar de novo”. Agora o cara dos CDs se ofereceu pra tirar a foto.

Por fim vou pra casa sozinho, mas com uma felicidade sem tamanho e levando comigo a foto que registra o evento do dia.

Ramon

Abraços para todos.

3 comentários:

  1. Fala Geysler, muito obrigado pela simpatia e pelas palavras!!
    um grande abraço e fica com DEUS

    ResponderExcluir
  2. qdo der entra aqui
    www.ramonmontagner.blogspot.com
    abração

    ResponderExcluir
  3. Oi meu amor, parabéns você escreve muito bem!!!
    BJ
    Lu

    ResponderExcluir